Palavras
885 views 0 comments

José Custódio de Morais

by on 2 de Novembro de 2013
 

José Custódio de MoraisJosé Custódio de Morais nasceu em 9 de Março de 1890, na Marinha Grande.

Foram seus pais Maria Adelaide Ferreira Custodio e António de Oliveira Morais, naturais da Marinha Grande. António Morais foi sócio e administrador da fábrica vidreira “A Central”, fundada por José Ferreira Custódio Jr., irmão de sua mulher. Foi também secretário da Associação de Socorros Mútuos do Montepio, pelo menos entre 1870 e 1872 (no mandato dos primeiros Corpos Directivos).

José Custódio de Morais fez estudos primários na Marinha Grande e estudos secundários em Leiria e Coimbra, onde seguiu também o ensino superior. Licenciou-se e doutorou-se em Matemática, sendo nomeado assistente universitário nessa área em 1913 – início de uma longa e brilhante carreira académica – da qual se dará aqui apenas uma brevíssima resenha. Mais tarde doutorou-se ainda em Mineralogia e Geologia, áreas em que fora antes também assistente.

Na sua carreira docente passou também pelo ensino secundário, como professor, professor metodólogo (formação de professores) e reitor do Liceu José Falcão, em Coimbra.

Trabalhou em variadíssimos organismos universitários, tendo designadamente dirigido o Museu e Laboratório Zoológico (1935-37), o Instituto Botânico (1937-42), o Laboratório de Física (1947- 48), o Museu e Laboratório Mineralógico e Geológico (1949-50), o Instituto Geofísico (1950-60) e a Faculdade de Ciências (1959-60). Participou em numerosas conferências e equipas de investigação internacionais. Foi chamado a dar pareceres científicos junto de serviços públicos. Realizou multas viagens de estudo e pesquisa, no Continente e nas Ilhas.

Cultivou as áreas científicas da petrografia, da geologia, da geografia e da história da ciência (estudando designadamente, neste último campo, as cartas de marear e os métodos de navegação dos séculos XV e XVI). O seu maior interesse foi, porém para a meteorologia e a geofísica.

Embora vivendo em Coimbra desde muito novo, José Custódio de Morais sempre manteve as suas ligações à Marinha Grande. Tinha uma casa nas Gaeiras e outra em S. Pedro de Moel, ás quais vinha passar as férias (no Inverno e no Verão, respectivamente).

Assim, alguns aspectos geomorfológicos e meteorológicos da região foram também alvo do seu trabalho científico, em 6 estudos publicados entre 1926 e 1947. Uma pesquisa sobre rochas ígneas do distrito de Leiria foi. mesmo o tema que escolheu para uma dissertação destinada a concurso para docente universitário, em 1926.

Como se lê na respectiva “Nota prévia”, um desses textos, “Geologia e geografia da região do Pinhal de Leiria”, é redigido a pedido de Arala Pinto, que tencionava então promover a elaboração de uma monografia sobre o Pinhal. Dado este enquadramento, Morais decide alargar o seu campo de análise, interessando-se, além do meio natural, pelos aspectos humanos, sociais e históricos. Daí a presença, nesse texto, dos capítulos “Um pouco de história”, “Origem e desenvolvimento da Marinha Grande” e “População da Marinha Grande”. Daí também as menções à interacção humana com o meio geológico que se encontram noutros pontos do texto – por exemplo, a propósito das areias e da utilização da sorraipa como material de construção. Morais manteve o seu interesse pela histórica local, tendo posteriormente escrito pequenos textos sobre temas marinhenses – o Engenho de madeira do século XVIII que deu nome ao lugar onde se localizava, o alto-forno de Pedreanes, a relação entre o rei Dinis e a fundação do Pinhal – publicados no Jornal da Marinha Grande em 1963 e 1972.

José Custódio de Morais casou em 1927 com Maria Margarida Marques Xavier da Cunha tiveram duas filhas: Marília e Maria Helena Xavier de Morais.

Faleceu em Coimbra, em 31 de Março de 1985.

Bibliografia do Autor:

1914, “Variações de latitude”(dissertação inaugural para o acto de doutoramento em Matemática na Universidade de Coimbra), Coimbra, manuscr.. ,

1919, “Variação diurna da declinação magnética em Coimbra”, Observações meteorológicas e magnéticas do Observatório Meteorológico da Universidade de Coimbra, 1919.

1923, “Classificação de cristais”, Coimbra, manuscr..

1925, “Nomenclatura geotectónica”, Memórias e Notícias, n.º 3, 1925.

1926, “Algumas rochas ígneas do distrito de Leiria – dioritos de augite” (dissertação para concurso a uma vaga de docente universitário), Coimbra, manuscr..

1931, “Primeiro centenário da Sociedade Geológica de França”, Revistada Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. I, 1931.

1931, “Um novo, afloramento de diorito áugico ofitico descoberto no Pinhal de Leiria”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. I., n.º 1, 1931.

1935, “Estudo das rochas da região de Elvas, colhidas numa exploração geológica”, Memórias e Notícias, n.º 8, 1935.

1936, “Geologia e geografia da região da região do Pinhal de Leiria”, Memórias e Notícias, n.º 9, 1936.

1937, “Determinações de radioactividade em águas minerais”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. VI, n.º 3, 1937.

1940, “Mais alguns fósseis da região do Pinhal de Leiria”, Memórias e Notícias, n.º 10, 1941.

1940, “0 arquipélago das Selvagens”, Memórias e Notícias, n.º 11, 1941.

1941, “O conhecimento dos ventos do Atlântico e do Índico nos séculos XV e XVI”, Memórias e Notícias, n.º 10, 1941.

1943, “A ilha de Porto Santo e as suas rochas”, Memórias e Notícias, n.º 12, 1943.

1943, “Águas minerais: sua origem”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. VII, 1943.

1944, “A radiação solar em Portugal. Sua importância como factor do clima”, Memórias e Notícias, n.º 13, 1944.

1944, “0 clima do distrito de Leiria. Comunicação ao Congresso das Actividades do Distrito de Leiria, Setembro de 1943”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. VIII, 1946.

1945, “0 arquipélago da Madeira”, Memórias e Notícias n.º 15, 1945.

1946, “Estudos sobre o clima de Portugal”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. VIII, 1946.

1946, “Grau de refrigeração do ar e condições meteorológicas do conforto”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. VIII, 1946.

1947, “Águas minerais de Portugal, sua composição e origem”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. IX, 1947.

1947, “Condições climáticas do trabalho ao ar livre em Portugal”, Memórias e Notícias, n.º 19, 1946.

1947, “Congresso Luso-Espanhol”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. IX, 1947.

1947, “Divisões climáticas de Portugal”, Memórias e Notícias, n.º 19, 1947.

1947 (com J. M. Cotelo Neiva), “Rochas intrusivas dos domos eruptivos de S. Bartolomeu, Monte Redondo e Pinhal Real – distrito de Leiria”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, n.º 19, 1947.

1948, “Os arquipélagos da Madeira e Selvagens”, Boletim da Sociedade de Geologia de Portugal, vol. VII, 1948.

1949, “Estudo da forma dos seixos rolados de algumas cascalheiras da região desde Coimbra até ao mar”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XVIII.

1950, “Divisão climática de Portugal”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. XII, 1950.

1950, “Geohidrologia da região de Coimbra”, Memórias e Notícias, n.º 27, 1950.

1950, “Levantamento terciário do extremo sudoeste da serra da Lousã”, Memórias e Notícias, n.º 28, 1950.

1951, “Balões pilotos em Coimbra”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XX. 1951.

1951, “Carta das chuvas na Península Ibérica”, Boletim do Centro de Estudo Geográficos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, n.º 2,3, 1951.

1951, “Nascentes minerais. Como se explicam”, Clínica, Higiene e Hidrologia, Março 1951.

1951, “Nível do mar no Quaternário”, Memórias e Notícias, n.º 29, 1951.

1952, “Observações do magnetismo terrestre no Instituto Geofísico da Universidade de Coimbra” Memórias e Notícias, n.º 33, 1952.

1953, “As furnas dos Açores”, Memórias e Notícias, n.º 35, 1953.

1954, “Algumas observações do magnetismo terrestre nos Açores”, Memórias e Notícias, n.º 37, 1954.

1954, “Clima de Coimbra – valores anuais e normais dos principais elementos e suas variações”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XXIII, 1954.

1954, “Observations of terrestrial magnetism made on west coast of India by D. João de Castro in 1538-1539”, Memórias e Notícias, n.º 41, 1954.

1955, “Professor Anselmo Ferraz de Carvalho”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XXIV, 1955.

1955, “Temperatura do terreno”, Memórias e Notícias, n.º 38, 1955.

1956, “Mesures d’evotranspirition à Coimbra”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XXV, 1956.

1956, “O clima de Coimbra, sua variação”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. XVI, 1956.

1956, “O mais antigo mapa de Portugal (1561)” Boletim do Centro de Estudo Geográficos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, n.ºs 12,13, 1956.

1956, “Um ano de medidas de radiação solar normal no Instituto Geofísico da Universidade de Coimbra”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XXV, 1956.

1957, Sem título (entrevista após visita de trabalho ao vulcão do Faial), Diário de Coimbra, 10.10.1957.

1958, “A poluição industrial da atmosfera e as condições meteorológicas”, Publicações do Instituto de Climatologia e Hidrologia da Universidade de Coimbra, vol. XVII, 1958.

1958, “Medidas de radiação feitas no Instituto Geofisico da Universidade de Coimbra. À memória de Calouste Gulbenkian”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XXVII.

1959, “Radiação global e insolação em Coimbra. Valores observados de 1955 a 1958 e calculados até 1931”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XXVIII, 1959.

1960, “As tempestades no percurso de Pedro Álvares Cabral em 1500, entre as ilhas de Cabo Verde e o Brasil”, Revista da Universidade de Coimbra, vol. XIX, 1960.

1960, “Determinação das coordenadas geográficas no oceano Índico pelos pilotos portugueses e árabes no princípio do século XVI”, Boletim do Centro de Estudos Geográficos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, vol. II, n.º 18, 1960.

1960, “O vulcão dos Capelinhos na ilha do Faial”, Memórias e Notícias, n.º 47, 1960.

1960, “Ventos e rumos. Seus nomes na história”, Boletim do Centro de Estudos Geográficos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, vol. XVI, 1960.

1961, “Medidas da intensidade das radiações solares, directas, difusas, atmosféricas e terrestres feitas no Instituto Geofísico da Universidade de Coimbra”, Coimbra, manuscr..

1962, “Cartas de marear nos séculos XV e XVI e declinação magnética”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XXX, 1962.

1962, “Evolução do conhecimento da Terra e a investigação científica. Oração de sapiência na abertura solene da Universidade no ano lectivo de 1959-60”, Coimbra, manuscr..

1963, “Catatermómetros”, O Médico, N.º 167, 1963.

1963, Sem título (carta enviada ao jornal e publicada sob a epígrafe “já lá vão… mais de cento e vinte anos!”), Jornal da Marinha Grande, 22.06.1963.

1963, “Engenho”, Jornal da Marinha Grande, 20.07.1963, 27.07.1963.

1963, Sem título (carta enviada ao jornal e publicada sob a epígrafe “A existência em 1864 de uma fábrica de ferro na Marinha Grande”), Jornal da Marinha Grande, 24.08.1963.

1966, Clima de Portugal, Lisboa, Centro de Estudos de Urbanismo e Habitação Eng. Duarte Pacheco. 1966,”Influência dos climas do Brasil e de Angola no desenvolvimento destes territórios”, Memórias e Notícias, n.º 61, 1966.

1967, “O clima nas costas do Brasil e as suas relações com o clima do mar que o cerca”, Boletim do Centro de Estudos Geográficos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, vol. III, n.ºs 22, 23, 1967.

1967, “O clima no mar à volta da Península Ibérica e as suas relações com o clima de Portugal”, Revista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, vol. XXXIX, 1967.

1967, “Os ventos e os climas n’ Os Lusíadas”, Revista da Universidade de Coimbra, vol. XXII, 1967.

1969, “As falhas da região de S. Pedro do Sul e as condições de urgência das águas termais”, Memórias e Notícias, n.º 68, 1969.

1972, “A primeira viagem de Vasco da Gama”, Revista da Universidade de Coimbra, vol. XXIII, 1972.

1972, “S. Pedro de Moel – Set. 1972”, Jornal da Marinha Grande, 20.10.1972.

1972, Sem título (carta enviada ao jornal e publicada sob a epígrafe “Pinhal Real”), Jornal da Marinha Grande, 03.11.1972.

in: VIDAS PASSADAS OBRAS PRESENTES
(pinhal do rei – documentos concelhios)
Exposição Documental e Bibliográfica
Câmara Municipal da Marinha Grande
(projecto Núcleo de Arquivo e Documentação)

Outras áreas de Palavras