Palavras
761 views 0 comments

Francisco Vicente Pereira Henriques

by on 3 de Novembro de 2013
 
Francisco Vicente Pereira HenriquesNasceu na Marinha Grande a 04 de Dezembro de 1933, sendo proveniente de uma família vidreira muito humilde.
Cedo começou a vender caramelos (o que fez até aos 14 anos), com os seus irmãos, que o tio fabricava e, por isso, ficou conhecido por “Xico dos Caramelos”.
Órfão de pai aos 9 anos, a sua escola foi o vidro, arte a que se dedicou com todas as suas forças.
Aos 13 anos entusiasmou-se pelo Teatro Infantil e participou no Auto de Natal, de Gil Vicente, a convite do Padre Higino e do Dr. Santos Lopes.
Tirou a 4ª classe nas aulas regimentares do R17, durante o serviço militar.
Esteve integrado no Teatro Amador de Picassinos e formou um rancho com alguns amigos. Em 1960 formou o primeiro Rancho Infantil de Picassinos. Foi convidado para ensaiar o Rancho do Vale da Gunha (Maceira) que participou no cortejo de oferendas a favor da Igreja.
Só com muita persistência e amor à arte conseguiu ascender à categoria de Mestre, com 28 anos, em Moçambique, onde trabalhou entre 1961 e 1962.
Regressado à Marinha Grande em 1963, trabalhou em várias fábricas, sempre à procura de mais estabilidade, que veio a encontrar, mas foi “sol de pouca dura” …
Em 1969 emigrou para França, clandestino, onde trabalhou 3 meses como vidreiro, mas o descontentamento sempre o perseguiu e resolveu partir de novo, desta vez para a Alemanha. Aí a sua vida estabilizou um pouco e durante 11 anos exerceu a actividade de profissional de cristalaria. Mesmo longe da sua terra não esqueceu a actividade cultural. Escreveu e levou à cena dois dramas: “Regresso ao Lar” e “O Filho dum Condenado”.
Fundou o Núcleo Português de Geislingen Steig onde formou um rancho que durante 9 anos representou Portugal, abrilhantando muitas festas dos alemães.
Regressou a Portugal em Março de 1981, quando a crise já estava instalada na arte vidreira. Ainda trabalhou, na Marinha Grande, em 4 fábricas, mas a crise acentuava-se e ninguém pagava a ninguém, daí a razão que o levou a descrever o homem, a criança, a miséria e o trabalhador.
Voltou ao Teatro amador com mais uma peça da sua autoria ” O Sonho Desfeito” – drama em 2 actos.
Andou de casa em casa e de escola em escola, incentivando crianças até conseguir formar um rancho folclórico infantil, do qual foi fundador, ensaiador, e responsável durante 10 anos. Esse rancho que representa a Marinha Grande, é o Rancho Folclórico Infantil e Juvenil de Picassinos.
Este contacto artístico e cultural dos mais velhos com os mais novos decerto terá influenciado e contagiado ainda mais o espírito empreendedor e sempre entusiasmado do Xico Vicente, embora ele já tenha nascido com este carácter e incentivo que veio a desenvolver tão ao modo de auto-didata, conforme se pode verificar pelo seu relato biográfico, acima indicado.
Editou o livro “Os Engeitados” em 1995. Além de ser autor deste livro também editou o “Quando um Mentiroso Fala Verdade” em 1998 .
Faleceu em 16 de Dezembro de 1999 mas, a sua obra não ficará no esquecimento.

in: Picassinos e seus Vultos – Alfredo Ferreira
Autores: Hermínio Nunes, Isabel Ferreira, Luis Abreu e Sousa
Edição: Sociedade Instrução e Recreio 1º de Maio – Picassinos
Data: Maio de 2006

Outras áreas de Palavras