Palavras
761 views 0 comments

António José Guarda Ribeiro

by on 2 de Julho de 2014
 

ANTÓNIO JOSÉ GUARDA RIBEIROAntónio José Guarda Ribeiro nasceu em 1933 na Marinha Grande e faleceu aos 68 anos. Como trabalhador-estudante, trabalhou em Pombal, na Tocha e Sertã e deu aulas em Porto de Mós. Após a licenciatura em Direito, exerceu advocacia em Leiria e Marinha Grande.
Ficou também conhecido pela militância cívica e política, que iniciou muitos anos antes do 25 de Abril de 1974. Tinha 13 anos quando andou a “fazer pinturas” na candidatura presidencial de Norton de Matos. Enquanto estudante em Coimbra participou activamente nas lutas estudantis da chamada “crise académica de ‘62”, pelo que foi obrigado a cumprir, pele 2ª vez, o serviço militar.
Com o Dr. Vareda, Alípio Cacela e outros democratas desta região, em noites tenebrosas, pela Serra dos Candeeiros, ajudou vários perseguidos políticos a fugir do País.
Candidato à Assembleia Nacional e à Assembleia Constituinte – sempre sob a bandeira da CDE (que, em 1974, deu origem ao MDP) – abandonou este partido em 1976 quando concluiu ser impossível reunir as forças partidárias defensoras do socialismo e que, por isso, o MDP “não podia ser o que eu entendia que ele deveria ser”.
Após o 25 de Abril integrou a Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Leiria, como vereador do Pelouro da Cultura. Trabalhou incansavelmente nesta área e sem qualquer compensação remuneratória. O seu maior sonho era deixar em pé a “Casa da Cultura”.
No “Verão quente” de 1975 viu o seu escritório saqueado e destruído. De 1976 até ao fim da sua vida, manteve-se afastado de qualquer militância partidária, mas sempre atento ao desenrolar da vida política, tanto a nível local como nacional, como disso dão prova os eus escritos, agora reunidos em livro.
Em 1989, como independente nas listas da CDU, foi candidato à presidência da Câmara de Leiria, pois era profundo conhecedor da realidade e carências do Concelho.
Como advogado, lutou pelas causas dos trabalhadores, muito em particular pelos trabalhadores vidreiros, de cujo sindicato foi consultor jurídico ainda desde antes do 25 de Abril.
Foi um acérrimo defensor das grandes causas da liberdade, da solidariedade, da justiça social. Defendeu com igual empenho a dignificação da classe, da justiça e dos tribunais e foi o fundador e o grande impulsionador da Associação Jurídica do Distrito de Leiria. Esteve sempre na primeira linha na construção e defesa do cooperativismo e associativismo.
Era casado e tinha dois filhos. A morte surgiu quando ainda tinha muito para fazer.

Fonte: Blog: Viver em LeiriaGuarda Ribeiro – uma biografia necessária (13 Abril, 2006)

Outras áreas de Palavras