História
1245 views 0 comments

O Pinhal

by on 19 de Outubro de 2013
 

O Pinhal

  • Pinhal do Rei  (até 1910);
  • Pinhal Nacional  (a partir de 1910);
  • Pinhal de Leiria  (actualmente).

 

O Pinhal de Leiria apresenta hoje uma área de 11.023 hectares, sendo parte dele património do Estado.

Não se sabe ao certo a origem do Pinhal de Leiria. Para alguns autores remonta a meados do século XIII, reinado de D. Sancho II, para outros foi o rei D. Dinis, no primeiro quartel do século XIV, o responsável pelo surgimento do pinhal. Outros ainda atribuem a sua origem ao reinado de D. Sancho II, considerando D. Dinis, “O Lavrador”, o impulsionador do desenvolvimento do pinhal, atribuindo-lhe a plantação das sementeiras, com o objectivo de, em primeiro lugar, segurar as areias que os ventos arrastavam para as terras, prejudicando a agricultura e, em segundo  lugar, para obter madeira para a construção de barcos com o intuito de desenvolver o comércio marítimo e das pescas. Parece-nos ser esta, a última versão, a mais verosímil.

São várias as lendas acerca do pinhal. Uma delas atribui a sua origem à rainha Santa Isabel, “arremassando ao vento uma arregaçada de penisco”.

Não podemos falar da História do concelho da Marinha Grande sem falar desta “catedral verde e sussurrante” como o poeta e escritor Afonso Lopes Vieira o caracterizou, na medida em que este foi o impulsionador do desenvolvimento industrial, económico e demográfico do concelho.

Até ao século XVIII atraiu e ajudou a fixar a população nas suas imediações, aliás, pensa-se que o primeiro casal que veio para a Marinha Grande, veio com a função de vigiar o pinhal.

Deveu-se ao pinhal a localização da primeira fábrica de vidros, pelo facto de a lenha, naquela época, constituir o principal e único combustível para alimentar os fornos das fábricas. A madeira retirada do pinhal permitiu, ainda, a construção de embarcações, remos, varas, palheiros e a criação de várias profissões: serradores, resineiros, couteiros, carreiros, etc.

Até 1910 o pinhal denominou-se de “Pinhal do Rei”. A partir de 1910 “Pinhal Nacional” e, actualmente, é designado de “Pinhal de Leiria”.

As árvores predominantes do pinhal são o pinheiro bravo e manso. São característicos desta zona o conhecido pinheiro “serpente”.

O pinhal começa “junto à foz do rio Liz e estende-se pela faixa litoral, para sul, até Água de Madeiros, daí em direcção ao interior até à Guarda da Lagoa Cova; depois quase em linha recta, para Norte, até Vieira de Leiria; por fim, segue o rio Liz até à sua foz.”

António Arala Pinto chamou-o de “o maior e mais antigo monumento vivo de Portugal”.

condensado de: Imagens do Século XX do Concelho da Marinha Grande
autoria de Patrícia Alexandra Balbino Grilo
edição de Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Marinha Grande
edição integrada no âmbito da exposição intitulada: «100 Anos de Fotografia do Concelho da Marinha Grande»
data de edição – Outubro 2001

Outras áreas da História
 
Esboço Histórico