História
1093 views 0 comments

IVIMA – Fábrica de Vidros da Marinha Grande

by on 2 de Agosto de 2014
 

História administrativa/biográfica/familiar

A Ivima foi fundada em 1894 através da sociedade Empresa da Nova Fábrica de Vidros da Marinha Grande, tendo como principal accionista António Augusto Dias de Freitas, Conde de Azarujinha. Em 9 de Abril de 1894, foi lançada a primeira pedra e a produção inicia-se em Janeiro do ano seguinte na área do cristal e de vidraça.

Instalada na Avenida 1º de Maio, constituiu uma das mais prestigiadas empresas de cristalaria do país, durante cerca de cem anos. Com cerca de 1100 funcionários, viu o seu quadro reduzido para 550 em 1990.

O 25 de Abril de 1974 trouxe a lume todas as deficiências e pressões abafadas durante anos, manifestando carências de todo o género, fundamentalmente ao nível da administração e dos objectivos.

Em 1986, já em situação de falência, foi proposta uma acção de recuperação que lhe permitiu sobreviver até finais da década de 90.

Teve ao longo da sua existência as denominações: Companhia Nacional, Nova Fábrica de Vidros da Marinha Grande e Companhia Industrial Portuguesa.

Ao longo da sua existência foi propriedade de vários empresários dos quais salientamos: em 1926 a CIP, Companhia Industrial Portuguesa;

em 1955 a Vista Alegre;

em 1970 a CIVE – Companhia Industrial Vidreira, SARL.;

em 1972 a CRISAL – Cristais de Alcobaça, Ldª.

em 1986 entrou num período de gestão controlada, segundo o Decreto-Lei 177/86

em 1990 João Pereira, Teixeira Cardoso e Victor Carvalho propõem a sua aquisição, a qual obteve homologação do Tribunal.

FONTE: Arquivo Distrital de Leiria

Outras áreas da História
 
Esboço Histórico