História
987 views 0 comments

Educação e Ensino

by on 19 de Outubro de 2013
 

l_227_7

  • Creche Pereira Crespo

A criação de uma creche na Marinha Grande deveu-se, em primeiro lugar, ao Sr. José Luís Pereira Crespo que deixou à Junta da Paróquia, em testamento com a data de 25 de Novembro de 1907, oito contos de réis para instituir e manter na freguesia uma creche e, em segundo lugar, à Junta da Paróquia que, com grande dedicação, levou a efeito a instalação da creche na antiga casa do clube – Grémio Marinhense – que se encontrava ao abandono há alguns anos e que serviu, várias vezes, de quartel às forças militares que eram enviadas para a Marinha, por ocasião de conflitos entre os operários e as companhias arrendatárias da antiga Fábrica Nacional de Vidros.

A s obras de reparação iniciaram-se em 1912 e a inauguração deu-se no dia 5 de Outubro de 1913.

Alguns anos mais tarde deixou de funcionar como creche. Neste edifício funcionou também uma escola primária feminina. Actualmente é sede da Junta de Freguesia da Marinha Grande.

l_272_2

  • Escola Industrial e Comercial

Já dissemos anteriormente que Guilherme Stephens se preocupou com a educação dos seus operários, recrutando mestres para lhes ensinarem as primeiras letras, para lhes darem aulas de desenho e de música. O ensino remonta, portanto, a esta altura.

Em 1893 a Sociedade Filomática (sociedade com fins culturais e recreativos, fundada em 1883) propõe a criação de uma escola industrial de desenho que foi, de facto, oficialmente criada, chegando mesmo a nomear-se um director, no entanto, nunca chegou a funcionar.

Em 1899 a escola voltou a ser requerida pelos corpos gerentes da companhia arrendatária da Nacional Fábrica de Vidros; o mesmo sucedeu no dia 25 de Abril de 1912, agora, a pedido do deputado do distrito, Gaudêncio Pires de Campos. Mais uma vez, a criação da escola não se verificou. Só em 1920 foi criada, funcionando até 1923 apenas com uma aula de desenho, dirigida pelo pintor Almeida e Silva, numa dependência da Nacional Fábrica de Vidros.

É com o Engenheiro Calazans Duarte que, em 1925, a escola de vidreiros é transformada em escola industrial de Guilherme Stephens. A inauguração deu-se em 29 de Março de 1925, com a presença dos Ministros do Comércio e Agricultura e do Interior. Dirigiu-a até 1931, seguindo-se-lhe o Engenheiro Francisco António Rodrigues e o pintor Alberto Nery Capucho.

A escola funcionou até 1959 em situação precária, ano em que a Escola Industrial e Comercial passa a dispor de um novo edifício, inaugurado em Junho de 1959.

Hoje funciona neste edifício a Escola Secundária Calazans Duarte.

Em Dezembro desse mesmo ano, o filho do Engenheiro Calazans Duarte foi convidado a proceder ao descerramento da lápide, que se encontra na parede exterior do edifício onde funcionou a primeira escola dos vidreiros, com a seguinte inscrição: «Neste edifício funcionou a Escola Industrial da Marinha Grande, iniciativa da Administrador da Fábrica – Escola Irmãos Stephens, Engenheiro Calazans Duarte, que a dirigiu e nela ensinou por mais de trinta anos»

 

  • Externato Afonso Lopes Vieira

 

No edifício pertencente ao Senhor Godinho, funcionou uma escola privada mista, criada em 1947 com ensino liceal.

Este edifício, já desaparecido, esteve situado onde hoje instalada a caixa Geral de Depósitos.

condensado de: Imagens do Século XX do Concelho da Marinha Grande
autoria de Patrícia Alexandra Balbino Grilo
edição de Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Marinha Grande
edição integrada no âmbito da exposição intitulada: «100 Anos de Fotografia do Concelho da Marinha Grande»
data de edição – Outubro 2001

Outras áreas da História
 
Esboço Histórico